O que você faz quando ninguém está vendo?

Às vezes eu me deparo com um discurso moralista e ético, que beira aos extremos da juvenilidade. Sinto informar, o mundo não é ético. E nem dotado de moral. Nós é que o fazemos como queremos. Nós é que estabelecemos que caminho tomar para evitar dissabores, sejam de ordem jurídica ou econômica. Ou mesmo política ou social, enfim. Inventamos o fairplay no futebol, para torná-lo mais agradável, mas os jogadores estão doidos pra se pegar. E tem torcedor que se diz anti-corrupção, que sai por aí a desacatar político e administradores de ficha suja, mas vaia a devolução de bola no fairplay.

Longe de um determinismo básico, onde qualquer ato refletiria num futuro, devemos pensar, também, que nossos atos são dirigidos pelo acaso. E em alguns casos nem percebemos as mancadas que damos e já queremos enquadrar aos outros, como reservas da honra e da moral.

Bom, pau de galinheiro sujo é o que mais temos por aí, então que não se queira tentar limpar o dos outros.

O mesmo cão que late para um assaltante que invada sua casa é aquele que faz xixi no tapete novo da sala, só pra marcar território.

Digo isso em face às verdades que são disseminadas no entorno da Ressacada, os dedos apontados, as orientações de conduta, as ordens unidas, como se todos fôssemos dotados de uma moral e de um ética inquebrantáveis. Virgens vestais. Anjos imaculados. Verdades com a profundidade de uma colher de chá. Ora, só para saber, o mundo tem, pelo menos, sete bilhões de verdades, e cada uma se acha mais verdadeira que a outra.

Ao se elencar verdades como sendo absolutas está se querendo dizer que todo o resto do mundo, se estiver fora daquela lista, sofrerá o fogo dos infernos mais profundos, por não acompanhar estas verdades?

Conselharia é querer achar um canal alternativo para discutir projetos e futuros do Avaí? Conversa! Quando vejo alguém dando de dedo na direção avaiana, com um copo de cerveja na mão, eu percebo como o Zorra Total está perdendo talentos.

Está-se sugerindo a necessidade de oposições e trocas de idéias? Sim, ótimo, mas cadê as idéias, se elas se resumem a palavras soltas ao vento ou a se sedimentar sob o tacão dos processos judiciais?

Zuninômentro é trocas de idéias? É atitude? Para mim é a prova de que eu não erro, eu sou o cara, eu faço e aconteço.

Sejamos mais sérios! Ou menos hipócritas!

Se a torcida do Avaí quiser ser inteligente, diferenciada, dinâmica e atuante, como diz ser, terá primeiro que ser paciente e depois que se comportar como torcida, ou seja, que cada força individual faça parte de um todo, além de ser participativa e produtiva nos jogos.

E, também, se a direção do Avaí quiser que se leve este clube aos patamares mais longínquos que nunca, sequer, almejou conquistar, é preciso chamar a torcida de volta, com todo o seu rancor, melindres, emoções e aplausos.

Nós estabelecemos o caminho, nós fazemos o futuro, lembra? e ele não está pronto. Então que não me apareçam engenheiros de obras prontas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s