Feriadão dinâmico

Estive de mini-férias na praia no fim de semana, afastado da civilização que põe fogo em ônibus e debocha da polícia, dos STFs fajutos, de torcedores avaianos murrinhas e da internet viciante. Soube só no domingo à noite que o Avaí perdeu e o Criciúma subiu. E que a seleção de futsal foi heptacampeã.

Bom, a seleção brasileira de futsal acabou com essa farra de grifeiro esnobe dizer que a Espanha, com aquele jogo enjoado, é a melhor do mundo. Mofas! Nem na quadra e tampouco no campo. Futebol é coisa de brasileiro. Tanto é assim que há vários jogadores brasileiros em todos os países que querem ser algo na vida no mundo do futebol. Tem brasileiro jogando nas seleções da Espanha, em Portugal, Alemanha, Japão, EUA, México, Itália, Rússia e em várias outras. Só não há na Argentina porque lá eles têm vergonha na cara e fazem seu próprio futebol. Os outros são cadeirudos e tem que importar brasileiro pra dar algum caldo. E ainda têm a audácia de dizer que são melhores que o Brasil. Ta bom!

E o Criciúma? O Tigre “subiu de maduro”. Nossos parabéns. Mostrou que presidente pode, sim, investir num clube de futebol e que não é nenhum crime federal a ser punido com o fogo dos infernos. Agora, que me desculpe o meu amigo Fábio Martins, mas deram chance pro azar, porque, ao que me consta, se dependesse do jogo na Ressacada… Hummm!

E o Avaí perdeu porque estava escrito na Constituição de 1495, da Dinamarca, que Laércio faz falta nesse time. Se alguém não se lembra, os melhores momentos do Avaí neste ano, principalmente do tempo do interino Maria, foi com Laércio em campo. E agora com o Phoddas, então. Portanto, é imprescindível.

Agora, uma coisa curiosa que leio na estratosfera. A turma dizem que o Avaí não investe na base. Oras, mas o Avaí tem usado jogadores da base em seus jogos. O Carreirinha é um deles e que dá conta do recado. E aí… ele não serve? Será que é porque não veio do Barcelona?

Sinceramente.

Ah, outro feriadão pra me ver livre disso tudo.

Anúncios

7 pensamentos sobre “Feriadão dinâmico

  1. Quem poderia dar uma resposta a esse último parágrafo é a diretoria do Avaí, não entendo porque cobrar isso dos torcedores. Aproveito então para o blogueiro responder as seguintes perguntas:

    1) Por que a diretoria não renovou antes com o Laércio, deixou para fazer isso com o contrato quase expirando? Sendo que o Diogo Orlando e Saldanha tem contrato até 2013, Jefferson Maranhão e Fábio Santos até 2015 e por aí vai. Logo, a diretoria também não valoriza o jogador da casa.

    2) Por que nessa reta final de campeonato, que não vale mais nada para o Avaí, a diretoria não obrigou o Argel a escalar jogadores da base? Luiz Matheus e Marrone sequer foram relacionados. Alef foi bem na única oportunidade que teve e já voltou para o banco. Dieguinho só entrou 45 minutos. E Tauã jogou um pouco mais.

    3) Por que o Renan Oliveira foi dispensado? E o Léo Campos? Por que nunca deram muitas oportunidades ao Cleyton, Juninho e Branca, em detrimento de Dirceu’s, Welton Felipe’s, etc? Por que esqueceram de renovar com o Thiago Bambam e ele saiu de graça? E tantos outros juniores que não cabe falar aqui.

    4) E o que falar do erro de planejamento? Ou seria a falta dele? Quando viu que a distância para o G4 era grande e o clube acabara de ser eliminado na Copa do Brasil Sub-20, devia ter incorporado os juniores ao plantel, mas não, deram férias e só retornaram com eles por pressão da mídia.

    5) Ninguém quer se comparar ao Barcelona. Agora não entendo o motivo de se diminuir tanto. Não foi você que disse para cobrarmos uma valorização da FCF? Então vale o mesmo, nosso estado nunca ganhou nada historicamente, vamos se contentar com uma merreca.

    6) Aproveita sua vínculo com o presidente e manda demitir o Argel e Marcelinho Paulista antes que seja tarde, ou iniciaremos o planejamento(?) de forma errada e irá estourar lá na frente. Quero o melhor do Avaí, assim como todos os outros avaianos, que tem diferentes modos de torcer e apoiar, é preciso você entender isso. Há que os apoiem tudo. Outros que apontam os erros para que não se repitam. Outros que só querem ganhar ibope. E assim caminha a humanidade.

    7) Passaria horas citando as mazelas dessa gestão, mas não vem ao caso. Espero que consigam colocar tudo nos eixos, para que nosso presidente tenha um ótimo ano de despedida e vá curtir a família depois, hehe

    Abraços!

    • Caro Gustavo:

      1 – Um empresário atravessou na negociação. Cresceram os olhos achando que o Avaí era o Milan. E quem vaia jogador é torcedor, se você ainda não percebeu.
      2 – Sim, Alef, Dieguinho, Tauã. Tiveram as suas oportunidades, como você bem mencionou. E os demais, concordo, deveriam também estar sendo escalados. Mas será que a torcida teria paciência com eles se valesse alguma coisa? Aposto meu salário de um ano que, se estivessem em campo, na primeira rabada em bola, seria execrados. Portanto, esse papinho de apoio às bases é conversa mole.
      3 – Concordo que algumas negociações são estranhas e isso quem tem que responder é a direção. Agora, Cleyton, Juninho e Branca também tiveram as suas oportunidades e naquele momento não corresponderam, o que não significa que devam ser dispensados.
      4 – No começo do ano o presidente havia dito que seriamos campeões estaduais e que chegaríamos à série A. Metade do que foi planejado foi cumprido. Isso é normal em qualquer lugar. Estar planejado não é garantia de sucesso, você deve saber disso. E o Avaí tinha que contar com a torcida, que só foi ao estádio nos jogos decisivos contra o Figueira. No resto do ano abandonou o clube. E onde você ouviu que os garotos da base só jogaram por pressão da mídia?
      5 – Valorização é diferente de grife. Uma coisa é ser respeitado, outra é querer ser aquilo que não é. Acho que isso está bem claro.
      6 – Primeiro que sou um simples torcedor. O meu vínculo é como funcionário da empresa, não do clube. Quando vou ao estádio não frequento camarotes, não recebo ingressos e entro pelos portões que todo torcedor entra. Sequer sou conselheiro. Isso precisa ficar claro, pois as pessoas confundem muito as coisas. Portanto, nunca, jamais, em momento algum eu comentei com o presidetne sobre a vida administrativa do Avaí, que deveria fazer isso ou aquilo. A gente conversa, mas nunca com o intuito de exigir qualquer coisa. Eu também quero o melhor do Avaí e por isso dou meu apoio incondicional para que a diretoria acerte. É muito fácil apontar defeitos a todo momento, xingar um, ofender outros. Mas estar ao lado do clube, da diretoria, dos jogadores é complicado. E esse papel eu faço. Faço com o presidente Zunino como faria com qualquer outro que estivesse ali. Mas, quis o destino que o apoiado da vez fosse ele.
      7 – Eu passaria horas citando as coisas boas que esta gestão fez, mas isso não vem ao caso. Espero, também, que algumas coisas sejam colocadas nos eixos e que o presidente, pelo bem dele mesmo, saia o quanto antes.

  2. Carlos, só imagina ter que decidir no jogo da Ressacada o acesso ? Segundo o mamador Delfim o Avaí daria uma forcinha ! Que vergonha um presidente de Federação falar isso ! Futebol é sério ! Tenho certeza que o Avaí não vai dar mole no sábado e será muito difícil o Criciúma ganhar e muito menos o jec ganhar do goias; eu vou no jogo, tu vais ????????

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s