A casa caiu ! A trave também…

Talvez ainda cedo para uma definição de uma conclusão que se encaminha em meus neurônios: o time do Criciúma deste ano é pior que o do ano passado !  Fico ainda na dúvida porque acredito em alguns especialistas em futebol que justificam ao entrosamento o fraco desempenho destas equipes que praticamente montaram uma nova equipe este ano. Casos de Criciúma e Figueirense principalmente. Sei que o futebol de hoje requer muito dinheiro, tornando difícil segurar alguns jogadores, mas cairemos na mesmice de outros anos atrás, onde por não manter um plantel, sucumbimos ao fracasso ! E você poderia perguntar: mas o Criciúma montou um novo time do catarinense de 2012 para o início da série B  do mesmo ano  e por que deu certo ? Exceção, eu responderia. Na maioria das vezes não dá certo ! Felizes os que mantêm seus plantéis !!!!!!

A derrota para a Chapecoense mais uma vez mostrou um comportamento medroso, medíocre,  de uma equipe que estará disputando a série A daqui há alguns meses. Atrás, esperando as investidas do time do oeste, sem reação alguma. O meio de campo uma bagunça, volante formando uma linha de 3 zagueiros com Fábio Ferreira e o fraco Mateus Ferraz… Um ataque omisso !  Esse foi o retrato do Tigre em todo o primeiro tempo e primeira metade do segundo tempo. Levou o gol e a casa caiu ! Ou melhor, a trave caiu !  Num lance inusitado, onde o zagueiro Fábio Ferreira quase levou a trave para casa, salvando o que seria o segundo gol da Chape. E esse susto acabou acordando o time do Criciúma, que nos restantes 17 minutos  sufocou o time do oeste e por pouco não empatou o jogo. Mas a realidade é que o tigre ocupa a sexta posição com 5 pontos. Pelo menos, nestas primeiras 4 rodadas, o Criciúma passa a ser a grande decepção deste início de campeonato. Veremos o poder de fogo deste time, ou veremos o mesmo filme antes do início da série A: mudança radical na equipe. Mas será que o raio cai duas vezes no mesmo lugar ?

Quanto ao ato do Zé Carlos que cuspiu no zagueiro da Chape é preciso haver uma avaliação da diretoria do tigre. O que salvou o Zé ano passado foram os gols que o levaram à artilharia da série B e como o terceiro artilheiro do ano. Mas tudo tem um limite. Já nas férias, o Zé deu declarações de que não voltaria ao Tigre, pedindo um aumento salarial não previsto em contrato. Em 4 jogos leva o terceiro cartão amarelo e agora comete um ato covarde, cuspindo em um colega de profissão, podendo pegar de 6 a 12 jogos de suspensão. Sinceramente, penso que a direção do Criciúma deveria começar a traçar um plano de desligamento do Zé do clube, e passar a montar um ataque novo para esta temporada. Hoje entendo porque este jogador não permaneceu nos grandes times do Brasil ! Porque nestes, a paciência é bem menor !

Anúncios

O chororô da corneta

Eu me divirto à frente dessa máquina do capeta que é o computador. Também gosto de jogar nele. Há jogos, como os de RPG, por exemplo, que são fabulosos, mexem com o seu raciocínio. As navegações que se faz nos diversos sites também nos deixam horas e horas entretidos e, em outras, extasiados. Mas é nas redes sociais, e principalmente naquelas que falam do Avaí, que meus carrinhos deixam a bochecha com câimbras, de tanto rir.

Pois a bronca agora é com a presença de público na Ressacada. Reclamam que a torcida tem que comparecer, pois a direção avaiana está investindo e este time precisa desse apoio. Dizem que é a hora do torcedor.

Alguém dirá que isso é mais um dos meus discursos otimistas, que reclama da falta de público, que precisamos apoiar e coisa e tal, por eu ser esse eterno chapa branca irrecuperável. Não, dessa vez, não.

Isso está vindo dos contumazes e irrecuperáveis corneteiros, aqueles que não tapam o sol com a peneira, os que não defendem o indefensável, os que não são cegos e vêem tudo. Os caras que entendem mais de futebol que os próprios jogadores, técnicos e comissões técnicas. Os que sabem, por exemplo, o que é uma enzima CK, o que ela faz e dizem que é uma bobagem. Os que chamam o presidente de quadrilheiro, seu filho de mafioso, o presidente do CD de velho dorminhoco e o Conselho Deliberativo de antro de incompetentes. Os que me chamaram de leviano, mas se borram diante da presença do presidente nas reuniões. Os mesmos que convocavam a torcida para ir assistir a um show de sertanejos quando o Avaí entrava em campo. Os caras e as caras que apontam os dedos limpinhos e polidos para todos os que não seguem sua cartilha de revolucionários de edredom.

Pois estes doutos estão percebendo que a torcida não está comparecendo. Estão incomodados. Até meio envergonhados condenam essa postura, sem antes dizer que a culpa é do Zunino, ao invés de perceberem que eles mesmos colaboraram para desmobilizar o torcedor, várias e várias vezes.

E eu que pensei que morreria e não veria isso.

Vou pedir um favor: parem, não aguento mais de tanto rir!

PROGRAMAÇÃO DO GUARANI VISANDO O JOGO CONTRA O AVAÍ

Por Paulo Scarduelli – Célula Comunicação

Jogadores e comissão técnica do Guarani chegaram nesta madrugada de Ibirama. A viagem começou assim que terminou a partida. O tempo para descanso será curto, pois logo mais, às 16h, começam os trabalhos visando o jogo contra o Avaí, no domingo, no Renato Silveira.

Segue abaixo a programação para hoje e os próximos dias.

 

Quinta-feira, 16h

– Treinamento regenerativo aos atletas que participaram da partida frente ao Clube Atlético Hermann Aichinger (Estádio Renato Silveira, Palhoça)

– Treinamento técnico aos atletas não relacionados e que participaram por menos de 20 minutos na partida frente ao Clube Atlético Hermann Aichinger (local a definir)

 

Sexta-feira, 16h

– Treinamento técnico (local a definir)

 

Sábado, 9h

– Treinamento físico-técnico aos atletas não relacionados para a partida Guarani x Avaí (Estádio Renato Silveira, Palhoça)

– Treinamento tático aos atletas não relacionados para a partida Guarani x Avaí (Estádio Renato Silveira, Palhoça)

– Treinamento recreativo a todo o grupo (Estádio Renato Silveira, Palhoça)

 

Domingo, 17h

– Guarani x Avaí (Estádio Renato Silveira, Palhoça)

A vaia que distorce

Das coisas que podem ser ditas desse início de temporada para o Avaí, uma é certa e única: a irregularidade. Os altos e baixos e a instabilidade mostrados até agora são esperados exatamente porque o time está em formação. Ainda há jogadores para estrear, temos outros que nem chegaram e os que jogam não estão totalmente em forma. Por isso, acho exagero as vaias que já se ouvem para determinados jogadores. Não, não é assim que funciona. Tem torcedor jogando pedra no próprio patrimônio. Aliás, está na hora de parar de se ouvir jornalista medíocre e comentarista boçal. Um diz que “esse não é o Avaí que eu quero” e o outro vem sempre com a mesma lenga-lenga de “ataque de asma”.

Há quem diga que a vaia corrige. E que não se pode proibir o torcedor de vaiar, pois ele paga e tem direitos.

Evidentemente que são frases de efeito e defendidas na honra da alma por quem acha que sabe mais do os outros ou que está acima do bem e do mal. Claro que as imprecações, o palavrão saído sem controle, o soco no ar de desaprovação são incontidos. Mas a vaia é o último recurso da crítica, da indignação. O sujeito, assim, quer dizer, definitivamente: “sai daí que eu faço melhor”.

Além do mais, vaiar seus próprios jogadores faz com que eles se sintam estranhos, que pensem não representar o time daquela torcida. Pensam ser adversários jogando com a camisa do time da casa. O jogador vaiado, malquerido pela torcida, quer sair dali imediatamente, ou fazer mais do que sabe para provar que pode. E erra! Erra mais ainda. Digo e afirmo categoricamente que um jogador vaiado não jogará melhor, mas abrirá uma ferida de ressentimento, que só se corrigirá com seu afastamento. E aí o clube é quem perde. A vaia não corrige, ela distorce a ordem natural das coisas. Ela antecipa projetos e queima etapas.

Vejo em Aleks, por exemplo, um dos mais vaiados, uma indisposição para jogar. É nítido que a sua motivação já acabou. Está ali para fazer número e o primeiro buraco que se abrir ele se jogará dentro. Da mesma forma Danilo, no ataque, que já quer fazer jogadas de letra ou lances mirabolantes para provar que pode, que sabe e que precisa se firmar. E aí perde a simplicidade de uma jogada decisiva. E ambos são da casa, garotos, cujo futuro pode lhes ser negado, ou ter uma carreira tortuosa.

Tudo porquê torcedores exigentes querem que garotos decidam e joguem como craques. Os mesmos torcedores que também exigem uma base forte para o futuro do clube.

Vai entender!

Notícias do Criciúma – 30/01/2013

Atacante Giancarlo a caminho do Criciúma

Clube anuncia que está apalavrado com o jogador que se desligou da Ponte Preta

Por Rádio Eldorado ( Criciúma ),

 

O experiente atacante Giancarlo, 30 anos, está a caminho como novo reforço do Criciúma para a temporada. A informação surgiu na manhã desta quarta-feira na imprensa paulista e, no começo da tarde, o Tigre publicou uma nota oficial informando que o clube está apalavrado com o jogador.

Diz a nota que “O Criciúma está muito próximo de anunciar a contratação de um novo reforço. O atacante Giancarlo, de 30 anos, que jogou o último Campeonato Brasileiro da Série A pela Ponte Preta, é aguardado em Criciúma nesta quinta-feira. Faltam apenas alguns detalhes para o jogador ser confirmado pelo Tigre. O atacante deverá estar à disposição do técnico Paulo Comelli para jogar no domingo, contra o Juventus, em Jaraguá do Sul”.

Contactado pela Rádio Eldorado, o gerente de futebol do Criciúma, Rodrigo Pastana, confirmou que existe uma negociação em andamento mas que ainda há detalhes a resolver, e que outros três clubes estariam na disputa pelo jogador. Dois deles seriam o Atlético Goianiense e o Sport Recife, mas que de fato o mais provável destino dele é o estádio Heriberto Hülse.

Giancarlo da Silva Moro é catarinense de Turvo e já jogou no América, Iraty, Londrina, Novo Hamburgo, Juventude, Portuguesa, Joinville, Glória, Chapecoense, Atlético de Ibirama, Union Alexandria, Paraná, Bragantino e Ponte Preta.

Criciúma 1 x 1 Avaí

Amigos, foi um bom jogo de futebol. Me assustei com o início do tigre, arrasador, que culminou num belo gol do Marlon já no início da partida. Mas a partir daí, só deu Avaí. E a justiça se fez no segundo tempo com o belo gol do ídolo Marquinhos.

Este jogo serviu para eu chegar a duas conclusões: a time do Avaí não é ruim como a imprensa declarou e o Tigre não possui o time da série A que o torna favorito ao título. Tudo igual !