A Granja chora

Os bichos-cricri da famosa granja Comigo Boi Não Dança (ou mais conhecida pelas iniciais CBN-D), a Raposa Felpuda, maledicente e ardilosa, o Sapo Duende, encrenqueiro e eterno inconformado, o Gambá Pretibranqui, com a cara e os pelos pintados de emoção, o Ratão do Banhado, que não deu certo em lugar algum e acabou dando na Granja e o Morcego Moicano, que posa de intelectual para fazer gênero, assistiam a mais uma apresentação do Leão Galego no Circo do Deba, quando perceberam uma tristeza no Morcego Moicano.

– Andas tão enfunchado. Que é qui houve, rapaz? – quis saber a Raposa Felpuda.

– Ah, eu estava ali no meu cantinho, na sacada da Granja, e um pé de brócolis passou voando pelas minhas orelhas. – lamentou o Morcego Moicano. – E eu que gosto tanto de brócolis, poxa, aquelas folhinhas verdinhas me fazem tão bem.

– E quem é que jogou? – perguntou o Gambá Pretibranqui.

– Não sei. Mas tenho certeza que não veio da Granja do Vizinho.

– E por que tens tanta certeza assim? – interpelou o Sapo Duende amarrando os cadarços dos sapatos brancos.

– Eu não tenho nenhuma dúvida de que não foram eles. Eu, hein, não quero me comprometer. – Disse, escondendo mais ainda o rosto e, como todo bom morcego acuado, metendo o rabinho no meio das pernas.

– Ô, rapazi, – continuou a Raposa, arrumando o cachecol. – vejam como o Leão Galego está se apresentando bem. O novo domador, o Ricardinho Coraçãozinho de Leãozinho deu conta do recado, né? A propósito, como tem INHO nesse Circo do Deba, hein?

– Apresentando bem, nada, – contestou o Sapo – para com isso, ô. Ninguém me engana.

– Ah, Sapo, mas ele é esforçadinho, vai. – amenizou o Gambá Pretibranqui.

– Esforçadinho é uma casa de pobre arrumadinha. – decretou o Sapo, cuspindo a dentadura. – E chega de INHO, né. Tem muito INHO aí.

– Coisa horrorosa. – zombou a Raposa.

– Mas vocês viram a corrida entre o Cavalo que come o Brócolis pela raiz e o Leão Galego do Circo do Deba? – perguntou o Ratão do Banhado, segurando a baba.

– Já faz tempo que eles fazem isso. – confirmou a Raposa. – Eu assisti a várias corridas junto com Marylin Monroe e Margareth Tatcher. Já virou clássico.

– Eu vi a corrida. – continuou o Morcego. – O Leão Galego ganhou por um palmo. E o Cavalo que come o Brócolis pela raiz disse que o Leão Galego jogou areia no rosto dele.

– Bobagem! – interrompeu o Sapo. – O discurso de quem ganha é um e de quem perde é outro.

– Chegou aqui a informação de que o lance foi duvidoso mesmo – expôs o Ratão. – A fonte aqui diz que não viu o lance, mas afirma que foi confuso. Então a corrida deveria ter sido anulada, não acham? O Leão Galego normalmente não ganha essa corrida. E se ganhou assim, ele teria que ser suspenso.

– Uma coisa não tem nada a ver com a outra. – arrematou o Sapo Duende. – E em casa de ferreiro quem tem um olho é Reis.

– Hã! – espantou-se a Raposa. – Olha, se houve ilegalidade, é melhor ver isso aí. Eles têm que garantir a lisura do espetáculo.

– Até porque era o cavalinho do Carrossel. – informou o Morcego Moicano. – É o melhor de todos.

– E era tão encantador! – suspirou a Raposa.

– Se foi assim, na disputa até a última curva, então é porque a pista era pequena demais para os dois. – sentenciou o Morcego.

– O Leão Galego, como sempre, vai dizer poucas e boas. Se preparem – sentenciou o Gambá Pretibranqui.

– É por isso que eu preciso rever algumas coisas. – confessou o Ratão.

– Sobre o resultado? – perguntou o Sapo.

– Não. É que eu adoro esse Leão Galego. – admitiu o Ratão.

– Por que? O que isso tem a ver? – insistiu a Raposa.

– Não quero ele rugindo pra cima de mim. Eu, hein.

Anúncios

3 pensamentos sobre “A Granja chora

  1. Alexandre,

    Será que eles não vão sugerir a um procurador a denúncia do Maylson por ofender preconceituosamente a bandeirinha. Além de tentar tirar o Marquinhos do sério e do campo o tempo todo, e de se referir ao Avaí como um “timinho que precisa da ajuda do juiz”, falou claramente numa das emissoras (ouvi mas não me lembro qual, pois a cada irritação troco a estação) que o problema era mulher bandeirando (mais ou menos isso). Particularmente acho melhor para os adversários o Maylson em campo. É fraco de futebol e de cabeça. Entretanto, constata-se a omissão dos comentaristas e dos procuradores neste caso.

    Outro fato interessante é que o lance do pêlnaty (como diria um comentarista) não apareceu na mídia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s