Nós podemos

Quando escrevi este texto, O Oeste não é cone  (que muito abobado me criticou por achar que eu, aos 52 anos, ainda não conheço futebol), não foi para dizer que deveríamos ter medo deste Oeste e nem de time algum, ou tampouco entrar na série B achando que já ganhamos. Série B é campeonato sério, lamentando a redundância das palavras. Quantas vezes essa frase terá que ser repetida? Dizer sempre a cada rodada até a última, quando aí será tarde demais e não haverá mais jeito?

Repito: o grupo de jogadores do Avaí é bom. Muito bom. Vendo este jogo contra o Palmeiras é que vi o desperdício. Qual dos jogadores do Palmeiras eu queria no meu time? Sinceramente, apenas o atacante e olhe lá.

Não, não estou sendo arrogante e nem mudando o meu discurso. É que o Palmeiras, mesmo sendo inferior ao Avaí, jogador por jogador, jogou para vencer, enquanto nossos jogadores queriam garantir um empatezinho e o treinador Ricardinho virou um bom espectador. Ou seja a velha e indefectível história de complexo de inferioridade. Eu prego a humildade, o respeito aos outros, sempre, nunca o rebaixamento e a submissão. E é isso que ainda vemos nesse grupo de jogadores que vestem azul e branco.

Claro que  é muito fácil pedir a cabeça do técnico. Agora é a hora, não é verdade? Manda embora também o Reis. Bovi é cone. Leandro Silva nem é tudo isso. E se Marquinhos não quer decidir, põe na barca. Já aproveita e leva o Julinho, o Alef, o Eduardo Costa, etc, etc. Ou seja, é fácil. Quando a gente não quer, se livra do que não presta e deu, não é assim? Não, não é assim. As pessoas que se acostumaram a jogar vídeo game, quando estão perdendo, desligam o console e começam de novo. Ou quando o computador enguiça, tiram da tomada e religam, reiniciando o que estavam fazendo.

Só que na vida real e com pessoas é diferente. Não dá pra tirar alguém do plug. A gente tem que exigir responsabilidades. E talvez seja isso que esteja faltando no elenco do Avaí atual. Uma frase de Einstein diz que “se a gente avaliar que um peixe não pode subir em árvores ele vai pensar a vida toda que é um estúpido.”

Está faltando dizer para o grupo de jogadores do Avaí que dá. Que é possível. Que podemos. Que não existe nada perdido. Que não são estúpidos. Porém, que eles mesmo assumam que não são estúpidos. Lamento, volto a dizer, não sou arrogante e desteto o discurso de que somos o maior e coisa e tal. Mas pra cone esse time do Avaí não serve.

E, por fim, devemos aprender com as dificuldades e que se deve valorizar as conquistas. O que era difícil fazer lá para o Oeste, dada a falta de humildade,  seria bem mais fácil contra esse arremedo do velho Palmeiras, que é a seriedade. E se não se levar as coisas a sério, trocar por outro não resolve nada, apenas transfere o problema para a frente.

Anúncios

6 pensamentos sobre “Nós podemos

  1. Aguiar, concordo com quase tudo, mas no futebol, se temos um grupo forte como é o nosso, um grupo favoritíssimo a ficar entre os 4, e não consegue perceber que dá, pra mim alguém está destoando. o leandro Silva esta mal, mas sabemos que pode melhorar, mas o que é preciso. O Bovi é limitado, mas quem deve fazer ele jogar no máximo do limite dele? É o treinador que não consegue enxergar o jogo. Como eu queria poder falar o contrário, sabes disso. Achei o nome dele excelente quando chegou, mas ou se toca ou é hora sim de mudar, pois teremos 20 dias sem jogos. Aliás poderiam também dar uma boa olhada no preparo físico nesses 20 dias, está devendo muito. São ajustes que devem ser feitos e tenho certeza que estaremos na série A em 2014 mas vislumbro um titilo da série B como extremamente viável, mas o Ricardinho tem que “querer”.

      • Sim mas quando li a parte do quando a gente não quer muda, manda embora e pronto, deu a entender que talvez não fosse a hora. Mas pode não ser a hora, pode não ser o ideal, porém alguém tem que “gritar” pro Ricardinho isso, pra vê se ele acorda, até porque faltam apenas detalhes pro ajuste final. Mas vamos em frente, sexta tem mais um jogo e encardido.

  2. Alexandre,
    Quanto ao rendimento dos jogadores é preciso analisar alguns pontos:
    1) é falta de condicionamento físico?
    2) é posicionamento inadequado?
    3) é situação extra campo?
    4) ou nenhuma das alternativas anteriores?
    Em relação ao time do Palmeiras, em determinado momento me questionei quem eram aqueles jogadores!? Afinal, não conhecia a maioria. Sou muito mais o Avaí! rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s