Por trás do atestado da solução há o cinismo

A solução Hémerson Maria parece ser a única possível e delineável no Sul da Ilha. Pelo menos é o que grande parte da torcida avaiana pensa, principalmente aquela parcela que não freqüenta o estádio, mas adora dizer que é avaiana até morrer. Hémerson Maria é um sujeito boa praça, capaz, inteligente, com conhecimento de futebol sem precisar provar nada para ninguém, mas pra Messias, o redentor, o salvador das mazelas dos Carianos, como querem alguns, vai daí uma distância do tamanho da Via Láctea. Para mim, é um técnico comum, que tanto pode dar certo como pode errar, o que é perfeitamente natural, sem juízos de valores e sem lágrimas de crocodilo.

Porém, a movimentação percebida entusiasticamente a seu favor tem outro objetivo, outra conotação, evidentemente. Há muito mais que isso no ar. Até porque, eu conheço bem algumas pessoas que estão à frente dessa Marcha de Hémerson Maria Pela Liberdade. Sabes aquela famosa planta que fede a cadáver, lá da Ásia? Pois é, ela cheira melhor que alguns destes senhores e senhores que agora endeusam o ex-atual-técnico.

No Estadual de 2012, lá pela metade, o Avaí com Cléber Santana e tudo (outro deus empossado na Ressacada) foi até Camboriu e perdeu. Foi um jogo chave, onde muitas máscaras caíram. No jogo seguinte, na Ressacada, foi convocado público zero, inclusive, com um convite formal e específico para que os torcedores deixassem o Avaí na mão e fossem assistir a um show de sertanejo. Naquela semana, a direção avaiana, admitindo que seu projeto Mauro Ovelha estava indo pro beleléu, resolveu alterar a rota e apostar numa solução caseira, que era o que dava pra fazer no momento. Uma postura que qualquer clube de futebol da galáxia faria naquela circunstância. Não houve nem saída mirabolante e nem reconhecimento absoluto do fracasso, mas uma iniciativa emergencial e aposta em alguém com perfil vencedor, haja vista que já fazia um bom trabalho na base: Hémerson Maria.

Porém, a vida é uma caixinha de surpresas, e logo depois alguém informou sob ares de verdade absoluta que a direção avaiana, entenda-se João Nilson Zunino, havia jogado a toalha e dito “vamos com esse mesmo”. E essa mentira deslavada, jogada aos quatro ventos que sopram na Ressacada, foi difundida e atestada como fato, como se alguém estivesse servindo de cadeira na reunião, além de ser adotada por aqueles… aqueles… os…. vocês sabem quem são.

Curioso é que mesmo Hémerson Maria sendo abraçado como o Mestre dos Magos, o time campeão do Estadual treinado por ele não obteve os louros da glória por essa mesma tchurma. Aliás, desdenharam e desmereceram o título como puderam, afirmando que havia caído no colo do Avaí. E, para a ópera-bufa ser ainda mais patética, vaiaram o coitado do treinador na Ressacada após alguns resultados ruins na série B, como é de hábito na relação dessa gente com nossos supostos ídolos, tirando depois o brioquinho da reta. Nada que ninguém já não tenha visto.

Claro, evidentemente, que por trás de toda essa pantomima há um sentimento: é ser contra qualquer coisa na qual o Zunino esteja metido ou tenha decidido. No fundo há um ódio visceral estampado ao homem, que é dissimulado em algumas ocasiões para não dar muito na vista. É claro que o presidente avaiano não é o bambambam de Passárgada. Ele faz bem ou faz mal ao Avaí, dependendo das circunstâncias. Comete erros tanto quanto acerta, porque é um humano normal com vontade de vencer como qualquer um.

Todavia, a questão não é essa, mas é esse comportamento de gente mesquinha e ordinária, com cinismo arraigado e desfaçatez empedernida, cuja postura é deplorável. Honestamente, não consigo ter raiva desse povo, com quem infelizmente já convivi por um erro meu de avaliação, reconheço. Não nutro zanga por ninguém, eu tenho é muita pena dessa gente, porque são infelizes. A vida deles se resume a uma única coisa: desejar todo o mal possível ao presidente Zunino, seja o que for. E se o Zunino é contra, eles são a favor, se é a favor, claro que serão contra.

Obviamente que vou torcer para o Hémerson Maria. Diferente de muitos doidivanas, não sou murrinha e nem vivo atrás de erros para apontar, mas torço sempre para que as coisas no Sul da Ilha dêem certas. O mais importante é o Leão da Ilha estar em evidência, ao invés de egos exacerbados e torcidas do contra. Desses a natureza dá um jeito.

A única coisa que importa agora é: a diretoria fez tudo o que se pediu. Se não fez mais é porque realmente é complicado. O que se espera agora é que as picuinhas sejam esquecidas e se volte a apoiar o Avaí em campo. Só isso e apenas isso dará um salto formidável de participação. Que não me apareça mais donos da verdade a incentivar o esvaziamento da Resscada.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Por trás do atestado da solução há o cinismo

  1. Ah pois é… o HM é o salvador, quero ver se perder dois jogos … e mais a Ressacada deve ser pequena no próximo jogo em casa, porque a diretoria atendeu todos os pedidos esse ano Ingressos acessíveis, Marquinhos, Cleber etc etc etc agora o HM. 3500 só não adianta. Quero ver apoiar até o final mesmo que esteja perdendo. Torcedores de clássicos é o que nossa torcida é, pois se o titulo do Ano passado fosse contra qualquer outro estaria sendo esquecido. Mas fazer média com amigos por causa do clássico é o tom dessa turma que adora pipoca e pizza. HIPÓCRITAS.

  2. Concordo com voce e com Murilo Moreira. Vou ficar na torcida por Hemerson Maria, mas sozinho e sem apoio dos jogadores, torcida e diretores nada pode fazer. Hora de a gente saber quem são os avaianos que pediram a sua volta e se realmente são avaianos ou apenas bonecos de ventrículos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s