Há muito campeonato pela frente!

E eu quero o Avaí vá na série A. Portanto, que não nos deixemos cair nas armadilhas de suposta crise. Que se existe não é no Avaí!

Digo mais, se dependesse da minha vontade eu gostaria de ver os quatro times catarinenses subindo e o Criciúma se mantendo na série A. Mas sei que isto é desejo de poucos e mesmo que fosse possível, dificilmente seria “permitido”, digamos assim.

Mas o mais incrível é constatar que faltando 17 rodadas para terminar a série B (ou seja, 51 pontos a serem disputados) torcedores de alguns clubes já fazem terra arrasada!

Feitas estas considerações iniciais, gostaria de tecer alguns pontos acerca do Avaí.

1) As lições da derrota para o Guaratinguetá:

Foi importante que a invencibilidade do Avaí, que permaneceu por dez rodadas, fosse quebrada em Guaratinguetá. Afinal, uma derrota seria inevitável. Ou alguém em sã consciência imaginou que o Avaí não perderia mais até o final do torneio? E considerando a sequência de jogos pela frente Icasa (C), Palmeiras (C), Joinville (F) e América-MG (F) vamos combinar que é preferível perder para um time que está atrás na tabela e vencer os nossos adversários diretos, certo? Ok, também prefiro não perder!

Mas perder do Guaratinguetá fez (ou ao menos deveria ter feito) com que treinador, jogadores e torcedores coloquem os pés no chão. De que ainda há campeonato por vir!

O leão ficou distante 6 pontos do G4 e só poderá eventualmente alcançá-lo no mínimo daqui a três rodadas, quando faltarão 14 para o final do campeonato. Insisto em dizer: não ligo pelo Avaí não estar no G4 agora, afinal, o importante é estar no G4 ao final da série B.

Ou seja, o torcedor tem que saber que mesmo vencendo as próximas duas partidas em casa ainda não estaremos entre os quatro primeiros, isto é um fato. Mas se o Avaí fizer algo difícil de acontecer, mas não impossível, de vencer os quatro adversários diretos nas próximas rodadas, o primeiro objetivo desta série B estará cumprido, pois faltando 13 rodadas para o término da competição e com 43 pontos será praticamente impossível cair para a série C.

Pois hoje o Avaí está distante nove pontos do Z4 e a permanência na série B precisa ser garantida. Isto é estar com os pés no chão. Palmeiras (com certeza), Chapecoense, Paraná e até mesmo o Joinville já possuem, praticamente, esta garantia o que faz com que possam almejar outros objetivos. E eu espero muito que o Avaí consiga esta garantia nos próximos 4 jogos, pois assim terá vencido os confrontos contra adversários diretos na luta para a série A e automaticamente estará mais vivo do que nunca para estar na série A em 2014.

2) O esquema tático:

Apesar de alguns cronistas desejarem ver o Avaí jogando com 2 atacantes, Hemerson Maria encontrou o esquema tático que dá certo neste time do Avaí: 4-5-1. Mas não foi neste esquema que o Avaí empatou com Boa Esporte e Oeste, e ainda perdeu para o Guaratinguetá na última rodada? Sim, foi.

Mas se observares com atenção, nestas últimas três rodadas o treinador tentou ou precisou “inovar”.

Contra o Boa Esporte começou com Luciano no lugar de Diego Jardel e mesmo tendo Márcio Diogo em condições de jogo, manteve Beto no ataque. Ou seja, com Luciano jogou quase com dois atacantes, desvirtuando o esquema. Com a entrada de Diego Jardel e Márcio Diogo o Avaí quase conseguiu vencer a partida. Talvez Diego Jardel estivesse merecendo um banco, naquela oportunidade, mas não teria sido mais prudente, então, colocar o Higor?

Já no confronto contra o Oeste houve a infelicidade da escalação de Leandro Silva. Caberia uma estatística para saber quantos gols o Avaí tomou nesta série B com o zagueiro em campo e quantos sem ele. Futebol, em campo, durante um campeonato, não é lugar para caridade. Infelizmente, o atleta não está rendendo o que se espera dele. E por isso se espera de treinador e diretoria que não insistam com a sua escalação.

E daí todos sabem o que ocorreu em Guaratinguetá… Leandro Silva entrou em campo…

Mas a responsabilidade não é exclusiva do zagueiro. No último jogo dois defensores titulares não estavam em campo: Ricardinho e Eduardo Costa. E por mais que alguns torcedores peçam a contratação de um lateral direito, Ricardinho tem feito bem a sua função de “zagueiro” no time avaiano. Ou não está perceptível que o Avaí joga com 4 zagueiros: Alex Lima, Bruno Maia, Eduardo Costa e Ricardinho. E por esta razão que Aélson merece ser titular no lugar do Héracles, pois abre uma opção de ataque em profundidade pela esquerda. Mas não devemos esperar a mesma atitude do Ricardinho. E ele nem deve fazê-la. Cabe, ou deveria caber, aos meias, Marquinhos e/ou Diego Jardel atuarem por aquele lado quando o time ataca.

No decorrer da partida, quando necessário, abre-se mão de um dos volantes e/ou um dos meias e se coloca mais um ou dois atacantes de velocidade (de preferência para explorar contra-ataques).

Mas pior mesmo, foi saber que na entrevista coletiva ao final da partida contra o Guaratinguetá um jornalista perguntou ao HM a razão dele não ter relacionado o Alê. Fala sério!!! Vai querer o mal do Avaí lá não sei onde!!!

3) O fator torcida:

Torcida não ganha jogo. Mas que ajuda, ah isso ajuda!

A série B de 2008 é um exemplo claro, neste sentido, para o Avaí.

E neste quesito Joinville e Chapecoense estão dando um banho!

Afinal, o importante não é propriamente saber o quanto de público se coloca no estádio. Mas o quanto o estádio está ocupado! Dez mil pessoas num estádio com capacidade para cinquenta mil pessoas representa duas mil pessoas num estádio com capacidade de dez mil. E a pressão da torcida ocorre com a maior ocupação possível do estádio.

Segundo o site GloboEsporte.com eis a média de ocupação nos estádios dos times na série B:

Joinville: 45%
Chapecoense: 44%
Sport: 42%
Palmeiras: 37%
Paysandu: 34%
Paraná: 31%
Ceará: 26%
Avaí: 25%
Figueirense: 22%
ASA: 19%
América-RN: 17%
Guaratinguetá: 12%
ABC: 12%
Atlético-GO: 11%
Icasa: 11%
Boa Esporte: 11%
Oeste: 9%
América-MG: 5%
São Caetano: 5%
Bragantino: 4%

Ou seja, há outro G4 que o Avaí também precisa frequentar! Afinal, em 2009 não teve um narrador da TV Globo falando que o Avaí era uma religião!?

Anúncios

3 pensamentos sobre “Há muito campeonato pela frente!

  1. Como sempre, perfeito e lúcido. Gostei dessa tua defesa do Ricardinho. Eu também o vejo com bons olhos, porque o esquema avaiano com 4 zagueiros, ele incluso, tem dado certo. Um lateral pra atacar faz o esquema se desmanchar, coisa que o HM tem feito força danada para esculhambar.
    O problema de HM é usar este esquema com o recuo dos jogadores. Tenho visto o Botafogo jogar num 4-5-1 e pressionando os adversários. E a estrela do time é Seedorf e mais 10.

    • Com quatro jogadores atuando no sistema defensivo, praticamente fixos, basta adiantar o time uns dois ou três passos em campo (menos o Diego, é claro, pois já adora jogar adiantado, rs).
      Iniciar e terminar os tempos das partidas marcando pressão na saída de bola, com a qualidade dos meias que nós temos, também é uma excelente opção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s