A maldição da Ressacada

Foi no mês passado, mais precisamente no dia 27 de outubro que o avaiano Adir José da Silva Júnior, publicou pelo seu twitter:

Caxias, Paysandu, Fortaleza… A maldição azurra é punk. Não ousaria eliminar o Avaí este ano. Só para avisar…

Adir provavelmente cunhou de maldição azurra por considerar que algumas eliminações do Avaí ocorreram longe do gramado da Ressacada.

E no mesmo dia, também pelo twitter, eu lhe respondi:

“Veja o que o Vasco está passando por nos ter eliminado da Copa do Brasil e o Criciúma por nos ter eliminado no Catarinense…

E dias depois eu percebi que no caso a maldição azurra trata-se na verdade da #MaldiçãodaRessacada!!!

Pois a Ressacada é mais do que um estádio de futebol. É um local que abriga uma legião de fiéis (lembrando Galvão Bueno que entre 2008 e 2009 comparou a paixão do torcedor avaiano a uma religião).

E os fiéis carregam consigo a sua crença nos locais em que se fizerem presentes. Mesmo que sejam sentados no sofá vendo uma eliminação à distância, decorrendo daí também, os efeitos da maldição da Ressacada.

Já neste mês de novembro, novos dados foram confirmando a existência da #MaldiçãodaRessacada, tais como saber por intermédio do twitter do Site Goleado Info que o atacante Fábio Jr, do América-MG, não marca um gol desde o dia 16 de maio deste ano (são 25 partidas, ou 863 minutos), quando o time mineiro eliminou o Avaí, na Copa do Brasil, em plena Ressacada. Desde então a #MaldiçãodaRessacada persegue a vida do atacante.

Outro exemplo é a Chapecoense, que recentemente venceu o Avaí, em Florianópolis. Talvez por não ter propriamente eliminado o time da capital é que os reflexos da maldição da Ressacada não sejam tão fortes e somente por isso é que vem agonizando com seis empates seguidos e sem definir o seu acesso!

E você, leitor, conhece mais algum caso que comprove a existência da referida maldição? Estaria o Avaí sofrendo recentemente de algum efeito colateral desta praga?

Um programado Post-scriptum

Sim, eu sei! Você deve estar pensando: “mas se a Chapecoense está sofrendo com os seguidos empates por que o Figueirense, que atropelou o Avaí na Ressacada, não foi atingido pela maldição?“.

Cientistas e estudiosos estão analisando cuidadosamente os dados, pois querem verificar se é caso do Figueirense ser imune a tal praga, ou se tenha encontrado algum antídoto, ou até mesmo artifício, para não ser impregnado pela #MaldiçãodaRessacada.

Tive acesso a dados preliminares destes estudos que comprovam análises minuciosas de que contra o Guaratinguetá em duas oportunidades (aos 13 minutos do primeiro tempo; e aos 35 da segunda etapa) ocorreram fenômenos estranhos que possam estar ligados, diretamente, às tentativas de burlar o efeito da maldição. 

Contudo, os pesquisadores estão aguardando uma nova partida para efetuar os devidos confrontos de dados. Veremos!

Anúncios

Um pensamento sobre “A maldição da Ressacada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s