Campeonato Catarinense 2014, uma fonte de receita

Todo ano ouvimos falar de salários atrasados de jogadores de futebol.

E como será que a Associação de Clubes de Futebol de Santa Catarina está tratando uma das principais (pelo menos deveria ser) fontes de receitas dos clubes?

Ou seja, como estão as negociações para o direito de transmissão do Catarinense de 2014? Já foram definidos os valores?

Só para lembrar:

1) Criciúma ainda briga para se manter na série A;

2) Chapecoense vai disputar a série A, em 2014;

3) Figueirense, Joinville e Avaí estão no páreo p/ disputar a série A, ano que vem;

Ou seja, é necessário que haja valorização do Estadual.

E não são apenas estes três pontos.

Segundo recente relatório divulgado pela Pluri Consultoria Avaí e Figueirense aparecem empatados em primeiro como os clubes (no Brasil) que tem maiores rendimentos médios por torcedor (R$ 1.097,00).

Tem mais: faz alguns meses que um jornal no Rio Grande do Sul apontou a Chapecoense como um time para os gaúchos torcerem na série B.

O que quero dizer com tudo isto? É que o futebol catarinense está com sua visibilidade em alta. E este é o melhor momento para “vender” o seu produto, que além de valorizado tem um público fiel e consumidor por natureza.

Não tenho dúvidas que os dados acima serão utilizados pelo veículo de comunicação na hora de vender as suas cotas de patrocínio para o campeonato catarinense.

Na série B, faltam cinco rodadas…

No dia 13 de outubro escrevi o post “Prova das nove“, em que busquei analisar a situação para classificação quando faltavam nove rodadas para terminar o campeonato.

Passadas cinco rodadas considero válido fazer uma nova projeção:

Palmeiras:

O Palmeiras deve alcançar a pontuação média para o título (75,85 pontos) somente daqui a duas rodadas. E apesar de ser totalmente possível o título na próxima rodada (contra o Joinville), quando alcançará os 73 pontos, precisará torcer pela derrota da Chapecoense em casa contra o América-RN. Pouco provável, convenhamos. Porém, ser vencer os próximos dois jogos (Joinville, em casa; e Paysandu, fora) será o campeão da série B, independente de qualquer outro resultado.

Se pretender atingir os mesmos 85 pontos obtidos pelo Corinthians, quando este sagrou-se campeão da série B, precisará vencer todos os jogos que restam.

Chapecoense:

A princípio com 63 pontos um time deverá estar na série A no ano que vem. Mas pode um time com 63 pontos subir e outro com os mesmo pontos não. Ou seja, o ideal é alcançar 64, ou até mesmo 65 pontos…

Acontece que o time do Oeste catarinense (que no meu entender disputará a série A em 2014) depois que venceu o time do Avaí, em Florianópolis, empatou todos os demais jogos. E basta empatar mais uns dois, três, jogos que o acesso estará garantido. Ou então, de forma mais tranquila, terminar o jejum de vitórias e vencer o América-RN em casa na próxima rodada. Com 64 pontos, caso seja necessário terá, ainda, o Bragantino em casa para selar o acesso. E poderá não se preocupar em enfrentar o Paraná e o Icasa longe de casa e o próprio Palmeiras no encerramento da competição.

 

As duas vagas restantes deverão ser preenchidas com dois dos próximos times:

Sport:

Atualmente o time pernambucano tem 56 pontos, faltando 07 para chegar aos 63. Ou seja, duas vitórias e um empate, em cinco jogos. Os seus adversários são: Ceará e Atlético-GO (fora); Paraná (casa); Boa Esporte (fora) e Paysandu (casa). Assim sendo, precisará vencer as duas partidas que tem em casa e buscar um ou mais pontos fora. Antes eu acreditava que poderia alcançar 66 pontos. Agora creio que não ultrapassará os 64, que devem ser suficientes para sua classificação.

Icasa:

Quando faltavam nove rodadas o Icasa estava em sétimo e agora encontra-se na quarta posição. Ou seja, está numa crescente no campeonato. Nas últimas quatro rodadas venceu o Palmeiras, o Figueirense e o Boa Esporte. Mas também perdeu em casa para o São Caetano.  Para chegar aos 63 pontos precisa marcar mais 10 de 15, tendo que enfrentar: ABC e Bragantino (fora); Paysandu e Chapecoense (casa) e o Paraná (fora).

Assim, precisará vencer as duas partidas que tem em casa e buscar, pelo menos, uma vitória e um empate fora. Muito provavelmente decidirá o seu destino na última rodada em terras paranaenses onde deve terminar o torneio com 62, 63 ou 65 pontos, sendo a diferença para o acesso ou para a permanência na série B.

Avaí:

Apesar das últimas duas derrotas a situação do Avaí não está muito diferente da do clube cearense. Com 53 pontos, atualmente, Precisa de três vitórias e um empate em cinco jogos para atingir a marca de 63 pontos. Seus adversários: ASA e Ceará (fora); América-RN (casa); ABC (fora) e Boa Esporte (casa). Talvez alcançar estes 63 pontos nem seja tão complicado, contudo corre o risco de não serem suficientes, como já afirmei acima. Assim qualquer pontos além destes 10 podem ser essenciais para a classificação.

Joinville:

O time do norte catarinense também conseguiu se recuperar nas últimas rodadas com três vitórias consecutivas. Porém, precisa de pelo menos 11 pontos dos próximos 15 que disputará, sendo que seu próximo adversário será o Palmeiras, em São Paulo. Logo, se não pontuar contra o time paulista provavelmente precisará vencer as últimas quatro partidas contra: Oeste (casa); São Caetano (fora), América-MG (casa) e Ceará (fora).

Mesmo que eu continue torcendo para que mais de um ou até mesmo três times catarinenses pudessem subir, continuo considerando muito difícil o Joinville alcançar os 60 pontos. Mas pode chegar a 61 ou até mesmo 62 pontos, o que muito provavelmente não seja o suficiente para o acesso. Contudo, tudo pode mudar de figura se o time aprontar contra o Palmeiras.

Paraná:

Para alcançar os 63 pontos o Paraná precisará vencer quatro dos cinco jogos restantes. Enfrentará: Boa Esporte (fora); Chapecoense (casa); Sport e Guaratinguetá (fora) e o Icasa (casa). Assim terá que vencer as duas partidas em casa e ainda buscar duas vitórias fora. Não deverá marcar mais do que os 63 pontos.

América-MG:

A situação do time mineiro é bastante parecida com a do time paranaense. Para chegar aos 63 pontos necessita de 4 vitórias em cinco jogos. Seus adversários são: São Caetano e América-RN (fora); Atlético-GO (casa); Joinville (fora) e ABC (casa). Se antes eu acreditava que poderia atingir a marca de 63 pontos, agora não creio que conseguirá chegar sequer aos 61.

Ceará:

O time da capital cearense para atingir a meta de 63 pontos precisa de 4 vitórias e 1 empate. Ou seja, não poderá mais perder. Sendo que enfrentará: Sport e Avaí (casa); Guaratinguetá e Palmeiras (fora) e Joinville (fora). As duas próximas rodadas devem dar um rumo ao seu destino, pois qualquer tropeço pode ser o adeus para a série A de 2014. Talvez até consiga chegar aos 63 pontos, mas considero pouco provável.

Figueirense:

O outro time da capital catarinense que ainda pode garantir o acesso precisa de 14 pontos em 15 a serem disputados para chegar a 63 pontos. Ou seja, precisa vencer todos os jogos que restam o que lhe daria a marca de 64 pontos. Seus adversários são: Guaratinguetá e ABC (casa); Oeste (fora); ASA (casa) e Bragantino (fora). Talvez os adversários não sejam o maior problema do Figueirense, mas sim conseguir a façanha de 6 vitórias seguidas. Principalmente, por que enfrenta alguns adversários que precisam garantir a permanência na série B.

Observações:

1) Interessante ver os quatro times catarinenses brigando pelo acesso (sendo que a Chapecoense está praticamente garantida). Será que ano que vem o campeonato catarinense será mais valorizado?

2) No momento 63 pontos ainda é a marca a ser atingida pelos clubes (o que não é garantia de acesso, como vimos acima). Contudo, nas últimas rodadas Paraná e Avaí andaram tropeçando e se nas próximas duas rodadas os atuais terceiro, quarto e quinto colocados continuarem a não confirmar os resultados a pontuação da classificação poderá ser menor do que 63 pontos.

3) Não falei do clássico por que não vi a partida. Se os jogadores do Avaí conseguirem tirar proveito desta vergonhosa derrota e não se abaterem o acesso ainda é algo bastante palpável e provável. Caso contrário, tudo o que foi feito desde a chegada do Hemerson Maria pode estar indo pelo ralo.

 

 

 

 

 

Associação de Clubes presta homenagem a Zunino no Clássico

A Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina (SCClubes) vai prestar uma homenagem, no Clássico de domingo, ao presidente do Avaí e ex-presidente da Associação João Nilson Zunino, desejando plena recuperação ao dirigente, que está afastado da direção do Leão recuperando-se de uma cirurgia.

“A homenagem é dos os atuais presidentes de clubes que integram a Associação, bem como os ex-presidentes da entidade”, resume o atual presidente Wilfredo Brillinger, que iniciou a última reunião dos presidentes de clubes, no dia 18/10, pedindo que todos os presidentes dessem as mãos e rezassem pela saúde de Zunino.

FORTALECIMENTO DO FUTEBOL DE SC
Zunino foi presidente da SCClubes por duas gestões, entre 2009 e 2012. Ele trouxe para a entidade muitas das ações empreendidas no Leão. A principal, certamente, foi aproveitar todo o esforço feito até então pelos seus 15 antecessores e valorizar ainda mais a Associação. Uma dessas ações resultou no aumento da receita da entidade, oriunda, principalmente, da comercialização dos direitos de transmissão do nosso futebol.

Com esses recursos, a Associação passou a realizar uma série de mudanças para o bem dos clubes e do futebol catarinense, que foram completadas recentemente com a inauguração da nova sede e a estruturação administrativa da entidade. Isso sem falar que ele deixou a entidade no melhor momento do futebol catarinense até então, com sete clubes participando das quatro divisões da CBF, sendo cinco nas Séries A e B (só São Paulo tem mais representantes). 

Nos quatro anos que passou à frente da SCClubes, Zunino implementou várias ações para valorizar as marcas dos clubes: lançou campanhas de combate à pirataria, acabando com os “varais” das camisas catarinenses nas imediações dos estádios; criou o Futmarcas para profissionalizar o licenciamento de produtos dos clubes; organizou a Feira de Produtos Oficiais do Clubes, que este ano teve a terceira edição em Joinville;  e criou um percentual em cima dos recursos oriundos dos direitos de transmissão para investimento na qualificação da arbitragem catarinense.

A homenagem deste domingo será realizada momentos antes do jogo, com a circulação de uma faixa, com os logos de Avaí, Figueirense e da Associação, e as palavras “Força Zunino!”.


 Jornalista Paulo ScarduelliDiretor da Célula Comunicação – Primeira Agência de Comunicação Integrada de Palhoça (SC)Fones (48) 9112.7757 e 3304.7757E-mail: paulo.scarduelli@gmail.com
Saúde, Paz e Vamos Sempre em Frente…

“Prova das nove”

Sim. De agora em diante será a prova das nove rodadas (apesar da CBF insistir em bagunçar o campeonato).

Eu acredito que se o Criciúma não cair, Santa Catarina deverá ter 3 times na série A do ano que vem. E também não é impossível e nem será nenhum espanto se tiver 4, mas daí me parece que nem os catarinenses querem (este ponto se desejar, caro leitor, podemos debater em outro texto).

A série B é disputada no sistema de pontos corridos desde 2006 e somente em duas oportunidades foram precisos mais de 63 pontos para a garantia do acesso (em 2009 e 2012).

tab 1

Antes, porém, de realizar alguns prognósticos, gostaria de questionar qual o interesse do Palmeiras nesta série B? Basta o acesso? Ou será ser campeão? Ou, ainda: pretende ultrapassar os 85 os pontos feitos pelo Corinthians em 2008?

Afinal, os palmeirenses enfrentarão, ainda, o Icasa, o Paraná, o Joinville, o Ceará e a Chapecoense (este último jogo, muito provavelmente com destino definido para ambos). Times que em tese estarão brigando pelo G4.

A média histórica, para ser campeão, é de 75,85 pontos:

tab 2

Esses onze pontos para atingir a média o Palmeiras deve alcançar entre a 33a. e a 34a. rodada (coincidentemente nas partidas contra o Paraná e o Joinville). Contudo, pode ainda não ser suficiente para garantia do título nestas rodadas, considerando que a Chapecoense deve permanecer (até estas rodadas) matematicamente com chance de ultrapassar o Palmeiras.

Assim sendo, o Palmeiras deve garantir o título da série B já contra o Paysandu fora (na 35a. rodada), ou na pior das hipóteses em casa contra o Boa Esporte (na 36a. rodada). Ou seja, poderá jogar contra o Ceará e contra a própria Chapecoense, nas duas últimas rodadas com “sangue doce”. A não ser, como dito acima, que o Palmeiras (incentivado pelo seu torcedor) também tenha o intuito de ultrapassar a pontuação obtida pelo seu rival em 2008. E, assim, pretenda fazer 21 pontos dos 27 ainda restantes.

Mas vamos retornar ao que nos interessa: as vagas que restam no G4:

Chapecoense:

Para o time do Oeste catarinense alcançar os históricos 63 pontos não parece ser uma tarefa difícil, principalmente se lembrarmos que o time ainda tem 30 pontos a disputar. Com a competência que vem mostrando tal intento poderá ser atingido ainda neste mês de outubro, onde enfrentará, em sequência e nos seus domínios, os time do Ceará, Sport e Figueirense. Além destas partidas, também jogará em casa contra América-RN, Bragantino e Palmeiras (na última rodada). Sendo que longe de sua torcida enfrentará Atlético-GO, Guaratinguetá, Paraná e Icasa

Ou seja, apesar da qualidade da maioria dos seus adversários o time do Oeste deve estar na série A em 2014.

Restam duas vagas para oito postulantes: Sport, Avaí, Paraná, Ceará, Icasa, América-MG, Joinville e Figueirense.

Sport: o time pernambucano tem 5 partidas em casa (América-MG, ASA, São Caetano, Paraná, Paysandu) e quatro fora (Chapecoense, Ceará, Atlético-GO e Boa Esporte). Acredito que deve terminar o torneio com no máximo 66 pontos.

O Avaí tem 4 partidas em casa (Bragantino, Figueirense, América-RN e Boa Esporte) e cinco fora (Atlético-GO, Paysandu, ASA, Ceará e ABC). Dos postulantes ao acesso, o leão catarinense é um dos que tem menos adversários diretos na disputa pelo acesso. Portanto, não acredito que tenha dificuldades de atingir 60 pontos. Porém para disputar a série A de 2014 precisará mais do que isso. E acredito que os resultados contra Atlético-GO, Paysandu e ABC é que definirão o futuro do leão. Creio que atingirá 67 pontos.

Paraná: o time paranaense tem cinco partidas em casa (Bragantino, Atlético-GO, Palmeiras, Chapecoense e Icasa) e quatro fora (Joinville, Boa Esporte, Sport e Guaratinguetá). Acredito que deve terminar o torneio entre 63 e 66 pontos.

Ceará: o time cearense talvez seja o clube que tem o caminho mais difícil pela frente. Em casa enfrentará quatro adversários diretos (América-MG, Sport, Avaí e Joinville). E mesmo que vença as quatro partidas precisará buscar pontos fora contra (Chapecoense, América-RN, Atlético-GO, Guaratinguetá e Palmeiras). Penso o que deve terminar o torneio entre 60 e 66 pontos.

O Icasa pode ser uma das grandes surpresas deste final de campeonato. Em casa enfrentará Palmeiras, Figueirense, Boa Esporte, Paysandu e  Chapecoense. E fora terá São Caetano, ABC, Bragantino e Paraná. Deve atingir entre 61 e 65 pontos.

América-MG: o time mineiro para alcançar o objetivo do acesso terá que continuar sendo um visitante indigesto, quando enfrentará Sport, Ceará, São Caetano, América-RN e Joinville. E, principalmente, garantir os pontos em casa contra Paysandu, ASA, Atlético-GO e ABC. Mas creio que chegará apenas aos 63 pontos. Será suficiente?

Joinville: O time do norte catarinense terá pela frente em seus domínios Paraná, Paysandu, Oeste e América-MG. E fora de casa Boa Esporte, Figueirense, Palmeiras, São Caetano e Ceará; Apesar das possibilidades creio que será muito difícil conseguir o acesso e sequer deve chegar aos 60 pontos.

Por fim, o Figueirense, que ainda tem 30 pontos em disputa. Em casa recebe o Paysandu, Joinville, Icasa, Guaratinguetá, ABC e ASA. E fora jogará contra Chapecoense, Avaí, Oeste e Bragantino. Se vencer todos os jogos em casa deve chegar aos 60 pontos. Ou seja, para garantir o acesso necessitará vencer fora de seus domínios. Creio que não passará de 65 pontos.

Bem, faltam 48 dias para sabermos o resultado da prova das nove!

SC sem basquete mas NBA com basquete de SC

Bom dia a todos, estava eu pensando, tenho que me desculpar com o pessoal do Todo Esporte SC, pois faz um bom tempo que deixei um branco na parte do basquete, mas analisando bem não fui só eu, acho que quase todo o basquete de SC anda meio sumido alguém viu o que o nosso time fez na NBB? Pois é praticamente nada nem se classificou para as finais, teve um aproveitamento de apenas 32,4% (sendo 11 vitórias nos 34 jogos), segundo eles mesmos isso aconteceu pois investiram em “renovação”.

Mas nem tudo esta perdido para o basquete de SC, podemos ver um catarinense no ponto mais alto do basquete (no mundo), o Tiago Splitter, todos jogadores de basquete sonham em um distante dia jogar na NBA, ele foi além!! No momento esta jogando a GRANDE FINAL e ainda mais, nesta final esta sendo considerado um dos melhores em defesa, sim o nosso Tiaguinho como era conhecido no campeonado catarinense, ainda mantém a imagem do basquete catarinense bonita e ainda não sumida…

Não há terra arrasada, mas …

Hoje, com uma vitória, o Avaí poderia ter assumido a liderança do returno e consequentemente ter ficado mais perto da classificação para as semifinais do campeonato catarinense. Mas …

Não há terra arrasada. Afinal, com exceção da Chapecoense, que hoje perdeu para o time do Juventus (sim aquele time que o Avaí custou para vencer e foi muito criticado por isto), não há nenhum outro time classificado para as semifinais.

Antes mesmo de iniciar a partida um dado me fazia acreditar na vitória do Joinville: a presença de um certo comentarista na transmissão da rede que detém os direitos de televisionamento. Pode ser apenas coincidência, mas pelo que tenho conhecimento não há um jogo, neste campeonato, que este comentarista tenha participado que Avaí ou Figueirense conseguiram pelo menos um empate. Todas as partidas com os comentários dele resultaram em derrotas para os times da Capital.

Mas se isto é uma regra eu tinha a esperança que para confirmá-la haveria de ocorrer uma exceção. E quem sabe não seria hoje, quando o treinador do Avaí optou em reforçar o sistema defensivo com três volantes. E apesar do jogo truncado o sistema defensivo do Avaí ficou ligeiramente mais consistente.

Contudo, só pude assistir o primeiro tempo deste jogo, cuja tônica foi o congestionamento no meio de campo. Sem mesmo poder dizer que havia um time melhor do que o outro. A defesa do Avaí não apresentava maiores problemas, porém no ataque Reis estava mal posicionado, recuando demais para buscar a bola, e Roberson numa tarde pouco iluminada.

Eis que depois da partida constato que Ricardinho, antes do primeiro gol do Joinville, cometeu o mesmo equívoco ocorrido no norte do Estado domingo passado. Sacou Roberson, que realmente não estava bem, mas colocou um meia. Ou seja, recuou o time, ou ao menos liberou um pouco a marcação adversária. Havia feito isto contra o Juventus e o time de Jaraguá empatou o jogo, quase custando a vitória do Avaí. E hoje cometeu o mesmo “pecado”.

Como não pude assistir o segundo tempo, deixo de tecer outros comentários, mas Ricardinho não poderia ter errado do mesmo modo, pois assim facilmente a ele pode ser creditada a derrota de hoje.

Mas diferente do que um comentarista, na rádio, disse de que o Avaí errou ao forçar o terceiro cartão do Marquinhos para ele não ter jogado hoje, eu considero que foi a atitude mais correta a ter sido tomada. Errados foram os árbitros que deram cartões amarelos para o meia após os seus erros e o próprio Tribunal de Justiça Desportiva que não puniu severamente os árbitros por erros tão evidentes e seguidos.

Que venha o clássico. Pois, por mais que cronistas esportivos pretendam, não há terra arrasada na Ressacada!